Um Olhar Feminino
30 de Outubro de 2009

Nesta vida, há tanto para entender, tanto para aprender. Existem tantas coisas pelas quais nos avaliamos – quer seja a idade, as realizações, coisas que foram feitas, ou não. Mas esse não é o propósito desta vida.
Coisas acontecem. Pessoas partem, e outras chegam. É como a analogia de um lar. Todos conhecemos um lar: “Lar, doce lar”, “Bem-vindo ao lar”: Mas o que é um lar? Lar é um lugar onde coisas maravilhosas acontecem. E também onde coisas horríveis acontecem.
Se você tiver sorte, você vai dar sua última respiração no lar. Tomara que ali você tenha cultivado um ambiente feliz de prosperidade, que não esteja inundado de problemas. Que seja um lugar verdadeiramente confortável – não só fisicamente, mas um bem-estar mental e o conforto de saber que você está em sua casa.
E a única forma de transformar um lugar num lar é se você trabalhar para isso. Não é só a disposição das portas. Tenho visto felicidade, conforto e alegria em cabanas de pau-a-pique, com telhados de palha e uma pequena porta que não fecha, mas as pessoas que vivem ali estão à vontade.

 

Por que estou falando sobre lar? Esta existência é seu lar. E é seu dever tornar esse lar tão confortável, pacífico e belo quanto possível. Porque nesse lar se obtém a verdadeira proteção. Boas coisas acontecem, assim como coisas ruins. Você tem que se certificar de que coisas boas aconteçam ali, estimular isso, e descobrir a verdadeira alegria que esse lar pode oferecer.
Esse lar que é seu – não haverá nada igual a ele outra vez. Sei que é difícil acreditar que lhe será concedido somente 15 minutos ou mais na fase mais magnífica da vida. As cortinas não irão se fechar, mas você será convidado a sair, e outra pessoa virá. E haverá outra e mais outra. Para muita gente, é extremamente difícil acreditar nisso.
Eu digo às pessoas que perderam alguém muito próximo que está tudo bem. Eles não foram a lugar algum; ainda estão com você. Estão vivos em sua memória. Você pode vê-los, senti-los, pensar sobre eles. Eles dançam com você; estão com você. Talvez não seja a mesma coisa, mas o companheirismo continua. Alimente isso, compreenda. Não há vergonha ou sofrimento nisso. É a natureza das coisas.
A água é feliz quando está fluindo. Pode brincar com a vida. Pode abrigar outras formas de vida. Quando está parada, quando a água fresca é contida, ela se torna salobra, e tudo nela começa a morrer. Toda água precisa fluir, para voltar a ser aquela água limpa e pura.

 

Entenda isso. Não lute com isso. Não pergunte: “Por quê?”, pois não haverá resposta. Este presente da vida se desdobra sem esforço. Você não precisa segurar uma corda ou apertar um botão. Este é o tempo que você tem, é a consciência, a oportunidade de saber. O desafio é compreender o óbvio. Como? Ouvindo o que o coração tem a dizer. Não é uma grande filosofia ou um rufar de tambores; é uma afirmação muito simples: “Viva nesta existência”. Seja. Seja.
Aceite o que lhe foi dado. A simples aceitação já seria um milagre – simplesmente por aceitar minha existência, algo notável poderia acontecer? Sim. Isso é o óbvio. Aceite essa respiração que lhe está sendo dada. Ouça seu coração e veja e sinta o desejo de estar contente, alegre, de tornar esse lar tão lindo quanto puder. Você terá que trabalhar para isso. O lixo tem que ser jogado fora. Comece se livrando, e não acumulando lixo, pois, caso contrário, você vai continuar jogando fora o lixo e trazendo-o de volta. É isso o que todos nós fazemos.
Esse lar é tão frágil. No entanto, é o lugar que vai te proteger das tempestades. É tão delicado, ainda assim tão forte que é quase inacreditável. Talvez você pense que tudo que precisa fazer é decorá-lo para fazê-lo parecer bom. Tudo bem decorar, mas primeiro certifique-se de que é um lar feliz. Quando encontrar seu lar interior, você vai compreender que pode viver sem uma porção de coisas. Quero que seu lar seja o melhor para você, e que ali você realmente se sinta em casa. Você está aqui por causa da bênção da respiração que chega e sai de você. Que esplêndido é isso. Essa é a essência. E então ser capaz de sentir, de ir para dentro. E deixar que esse lar seja maravilhoso.
Prem Rawat
publicado por umolharfeminino às 19:55 link do post
29 de Outubro de 2009

Quando nascemos, entramos nesse trem e nos deparamos com algumas pessoas que, julgamos, estarão sempre nessa viagem conosco: nossos pais. Infelizmente, isto não é verdade.

Em alguma estação, eles descerão e nos deixarão órfãos do seu carinho, amizade e companhia insubstituíveis, mas isto não impede que, durante a viagem, pessoas interessantes e que virão a ser super especiais para nós, embarquem: nossos irmãos, amigos e amores inesquecíveis.

Muitas pessoas tomam o trem, apenas, a passeio. Outros encontrarão nessa viagem, somente, tristezas. Outros, ainda, circularão pelo trem, sempre prontos a ajudar a quem precisa. Muitos descem e deixam saudades eternas. Outras tantas passam por ele de uma forma que, quando desocupam seu assento, ninguém sequer o percebe. Curioso é constatar que alguns passageiros que nos são tão caros, acomodam-se em vagões diferentes dos nossos e somos obrigados a fazer esse trajeto separados deles, o que não impede, é claro, que durante a viagem, atravessemos, com grande dificuldade, o nosso vagão, a fim de chegarmos até eles... só que, infelizmente, jamais poderemos sentar ao seu lado, pois já haverá alguém ocupando aquele lugar. E assim é a viagem, cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, despedidas... porém, jamais, retornos. Façamos, pois, essa viagem, então, da melhor maneira possível, tentando nos relacionar bem com todos os passageiros, procurando, em cada um deles, os que tiverem de melhor, lembrando sempre, que em algum momento do trajeto, eles poderão fraquejar e, provavelmente, precisaremos entender isto, porque nós, também, fraquejamos muitas vezes e, com certeza, haverá alguém que nos entenderá. O grande mistério, afinal, é que jamais saberemos em qual parada desceremos, muito menos os nossos companheiros de viagem, nem mesmo aquele que está sentado ao nosso lado. Eu fico pensando se, quando descer desse trem, sentirei saudades... Acredito que sim. Separa-me de alguns amigos que fiz nessa viagem, será, no mínimo, dolorido, como deixar meus filhos, fazendo a viagem sozinho. Isto, com certeza, será muito triste, mas, me agarro a esperança de que, em algum momento, estarei na estação principal e terei a grande emoção de vê-los chegar com uma bagagem que não tinham quando embarcaram... e o que vai me deixar feliz será verificar que eu colaborei para que ela tenha crescido e se tornado valiosa. Amigo, façamos com que a nossa estada, nesse trem da vida, seja tranqüila, que tenha valido a pena e que, quando chegar a hora de desembarcamos, o nosso vazio deixe saudades e boas recordações para todos aqueles que prosseguirem a viagem...
Autor desconhecido

publicado por umolharfeminino às 19:07 link do post
28 de Outubro de 2009

“Dizem que o que procuramos é um sentido para a vida.Penso que o que procuramos são experiências que nos façam sentir que estamos vivos.”

Para uns, a jornada é curta e agradável. Para outros, a jornada é acidentada, e em alguns momentos, dá vontade de desistir... Ao contrário do que você pensa, é nesses momentos que algo muito maior está acontecendo.

Estamos aqui para aprender, não para sofrer...Abandone o passado... desbloqueie sua paralisia afetiva. À medida que ganhamos experiências, um pouco mais nos é revelado.Abra-se!

Ninguém é igual a ninguém e ninguém é perfeito. A vida vai dando coisas com que você consegue lidar, conforme você vai aprendendo a lidar com elas. É assim que a vida funciona.

Avançamos no caminho espiritual através dos relacionamentos. Deepak Chopra escreveu: "Seja qual for o relacionamento que você atraiu para dentro de sua vida, numa determinada época, ele foi aquilo de que você precisava naquele momento."

Repare: Nada é por acaso. Nós nos colocamos em uma espécie de “trilha”, que sempre esteve aí, o tempo todo,à sua espera. Você elegeu seu destino. A vida que você tem que viver é essa mesma.

"Você não consegue mudar o que não consegue encarar".(James Baldwin) Por isso, onde quer que você se encontre, é exatamente onde precisa estar, neste momento.

Quando você estiver pronto para fazer uma coisa nova, de maneira nova, você fará. Há sempre alguém à espera da pessoa na qual você está se transformando. Talvez, você ainda não esteja pronto para reconhece-la.

A cada momento,cada um de nós está passando pelo processo de Ser e de se tornar. Como as pessoas, os nossos relacionamentos também mudam. E ainda há muito a aprender sobre AMOR...

Ainda há muito a ser realizado. Apesar de muitos problemas, há Esperança, Fé, Alegria, há o AMOR... Deus sabe de tudo que nos é necessário para evoluir, antes mesmo de nós!

“Obrigado, Deus, por me amar o suficiente e permitir que me aconteça somente aquilo com que eu consigo lidar, quando acontece.

Obrigado por Quem eu me tornarei através de tudo que me acontece.”

SEJA FELIZ SEMPRE!!!

( J.Campbell)

publicado por umolharfeminino às 23:34 link do post
27 de Outubro de 2009



Um dia, numa praça, um jovem exibia seu coração, o mais bonito daquela cidade.
Uma grande multidão se aproximou e admirou aquele coração, pois era perfeito.
Não havia nele um único sinal que lhe prejudicasse a beleza.
Todos reconheceram que realmente era o coração mais bonito que já haviam visto.
O jovem estava vaidoso e o ostentava com crescente orgulho.
De repente um velho homem, montado num cavalo, surgiu do meio da multidão, desceu ao chão e bradou:

" Seu coração nem de longe é tão bonito quanto o meu ! "
O jovem e a multidão olharam para o coração do velho homem.
Batia fortemente, mas era cheio de cicatrizes.
Havia lugares onde faltavam pedaços e também partes com enxertos que não se encaixavam bem, que tinham as laterais ressaltadas.
A multidão se espantou :
" Como pode ele dizer que seu coração é mais bonito? "
O jovem olhou para o coração do velho homem e disse, rindo:

" O senhor deve estar brincando! Compare seu coração com o meu e veja. "
O meu é perfeito e o seu é uma confusão de cicatrizes e emendas !
" Sim " , disse o velho homem.
" O seu tem aparência perfeita mas eu nunca trocaria o meu por ele."
As marcas representam pessoas a quem dei o meu amor.
Eu arranquei pedaços do meu coração e dei a elas e, muitas vezes, elas me deram pedaços de seus corações para colocar nos espaços deixados; como esses pedaços não eram de tamanho exato, hoje parecem enxertos feios e grosseiros, mas eu os conservo como lembranças de amor que dividimos.
Algumas vezes eu dei pedaços do meu coração e as pessoas que os receberam não me deram em retorno pedaços de seus corações:
Esses são os buracos que você vê.
Dar amor é arriscar.
Embora esses buracos doam, eles permanecem abertos lembrando-me do amor que tenho por aquelas pessoas, e eu tenho esperança de que um dia elas me dêem retorno e preencham os espaços que ficaram vazios.
Agora você consegue ver o que é beleza de verdade? "
O jovem ficou em silêncio, com lágrimas rolando por suas faces.
Caminhou em direção do velho homem, olhou para o próprio coração e arrancou um pedaço, oferecendo-o com as mãos trêmulas.
O homem pegou aquele pedaço, colocou no coração e tirando um outro pedaço do seu, colocou-o no espaço deixado no coração do jovem.
Coube, mas não perfeitamente, já que havia irregulares beiradas.
O jovem olhou para o seu antes tão perfeito coração.
Já não tão perfeito depois disso, mas muito mais bonito do que sempre fora, já que o amor do velho homem entrara nele.
Diante da multidão que os observava em respeitoso silêncio, eles se abraçaram e saíram andando lado a lado, seguidos pelo cavalo, cujas patas batendo no solo emitiam o som de corações pulsando ...
Como é o seu coração ???
Autor desconhecido

publicado por umolharfeminino às 16:35 link do post
26 de Outubro de 2009


"Contam que uma vez se reuniram todos os sentimentos e qualidades
dos homens em um lugar da terra. Quando o ABORRECIMENTO havia reclamado pela terceira vez, a LOUCURA, como sempre muito louca, propôs:
- Vamos brincar de esconde-esconde?
A INTRIGA levantou a sobrancelha intrigada e a CURIOSIDADE
sem poder conter-se perguntou:
- Esconde-esconde? Como é isso?
- É um jogo, explicou a LOUCURA, em que eu fecho os olhos
e começo a contar de um a um milhão enquanto vocês se escondem, e quando eu tiver terminado de contar, o primeiro de vocês que eu encontrar ocupará o meu lugar para continuar o jogo.
O ENTUSIASMO dançou seguido pela EUFORIA. A ALEGRIA deu tantos
saltos que acabou por convencer a DÚVIDA e até mesmo a APATIA,
que nunca se interessava por nada.
Mas nem todos quiseram participar: a VERDADE preferiu não esconder-se.
"Para que se no final todos me encontram?"- pensou. A SOBERBA opinou que
era um jogo muito tonto (no fundo o que a incomodava era que a idéia não
tivesse sido dela ) e a COVARDIA preferiu não se arriscar.
- Um, dois, três, quatro, ... - Começou a contar a LOUCURA.
A primeira a esconder-se foi a PRESSA que caiu atrás da primeira
pedra no caminho. A FÉ subiu ao céu e a INVEJA se escondeu atrás da
sombra do TRIUNFO que, com seu próprio esforço, tinha conseguido subir
na copa da árvore mais alta. A GENEROSIDADE quase não conseguiu
esconder-se, pois cada local que encontrava parecia perfeito para algum
de seus amigos: se era um lago cristalino, ideal para a BELEZA; se era a
copa de uma árvore, perfeito para a TIMIDEZ; se era o vôo de uma borboleta,
o melhor para VOLÚPIA; se era uma rajada de vento, magnífico para a LIBERDADE.
E assim acabou escondendo-se num raio de sol. O EGOÍSMO, ao contrário,
encontrou um local muito bom desde o início. Ventilado, cômodo, mas apenas
para ele. A MENTIRA escondeu-se no fundo do oceano ( mentira! ela se
escondeu mesmo foi atrás do arco-íris ) e a PAIXÃO e o DESEJO,
no centro dos vulcões. O ESQUECIMENTO... não me recordo onde
se escondeu mas isso não é o mais importante...
Quando a LOUCURA já estava lá pelos 999.999 , o AMOR ainda não
havia encontrado um local para esconder-se pois todos já
estavam ocupados, até que encontrou uma rosa e, carinhosamente,
decidiu esconder-se entre suas pétalas.
- Um milhão! - terminou de contar a LOUCURA e começou a busca.
A primeira a aparecer foi a PRESSA, apenas a três passos da pedra.
Depois, escutou-se a FÉ discutindo zoologia com DEUS no céu.
Sentiu-se vibrar a PAIXÃO e o DESEJO nos vulcões. Em um descuido,
encontrou a INVEJA e claro, pode-se deduzir onde estava o TRIUNFO.
O EGOÍSMO, não teve nem que procurá-lo. Ele sozinho saiu de
seu esconderijo, que na verdade era um ninho de vespas.
De tanto caminhar, a LOUCURA sentiu sede e ao se aproximar de um lago,
descobriu a BELEZA. A DÚVIDA foi mais fácil ainda, pois estava
sentada em uma cerca sem saber de que lado esconder-se...
E assim foi encontrando todos: o TALENTO entre as ervas frescas,
a ANGÚSTIA numa cova escura, a MENTIRA atrás do arco-íris
( mentira! na verdade estava no fundo do oceano) e até o ESQUECIMENTO,
a quem já havia esquecido que estava brincando de esconde-esconde.
Apenas o AMOR não aparecia em nenhum local...
A LOUCURA procurou em baixo de cada rocha do planeta,
atrás de cada árvore, em cima de cada montanha...
Quando estava a ponto de dar-se por vencida, encontrou um roseiral.
Pegou uma forquilha e começou a remover os ramos, quando,
no mesmo instante, escutou um grito de DOR. Os espinhos
haviam ferido o AMOR nos olhos. A LOUCURA não sabia o
que fazer para desculpar-se. Chorou, rezou, implorou,
pediu desculpas e perdão e prometeu ser seu guia eternamente...
Desde então, desde que pela primeira vez se brincou de
esconde-esconde na Terra:
O AMOR é cego e a LOUCURA sempre o acompanha."

(Autor Desconhecido)

publicado por umolharfeminino às 14:24 link do post
25 de Outubro de 2009

 

 

Sem que eu espere,
Lanças a palavra afiada,
Que fere e machuca,
Dizes que sou virtual,
-Amizade virtual-
Como podes me chamar de virtual?
Saibas que por de trás,
Da tela 'fria' do computador,
Existe alguém de carne e osso,
-E não feita de HD e Chips-
Como podes dizer que sou virtual,
Se dentro de mim bate um coração,
Por onde circula o liquido vermelho,
Que faz nascer à vida,
Sou feita de emoções e sentimentos,
Tenho lagrimas que rolam,
-Se estou triste ou feliz,
E sorrisos que contagiam,
Minha voz tem um canto que é só meu,
- E não um bip! Bip! Bip! Acelerado-
O meu corpo é quente,
-E se arrepia-
E minha pele perfumada,
Tenho olhos de uma cor só minha,
E um olhar que revela minha alma,
-Sim! Tenho uma alma-
Ah... Tenho braços que abraçam,
E uma boca que gosta de beijar,
E meus cabelos balançam,
Ao toque do vento,
Como podes dizer que sou virtual,
E se quando precisas de mim,
Sabes que comigo pode contar,
A qualquer hora do dia,
Noite ou madrugada,
Estarei sempre pronta a te escutar,
Não... Não fale assim,
Apesar de nunca termos nos encontrado,
-Ainda-
Não sou uma fantasia ou ilusão,
Sabes que eu existo,
E onde me encontrar,
-E que comigo podes contar-
Pois eu me importo contigo,
Então: não me chames de virtual,
Sabes muito bem que sou real,

Muito real...
Patricia Montenegro.
 
* Apenas um desabafo porque muitas vezes as pessoas esquecem que somos todos reais e com sentimentos*
publicado por umolharfeminino às 12:40 link do post
24 de Outubro de 2009

 

 

 

O que é que faz com que uma amizade solidifique e se torne profunda?

Falando das suas experiências, alguns afirmam que foram momentos de grande dor que fizeram com que eles descobrissem e firmassem uma sólida amizade. A chave, portanto, seria passar por um grave problema juntos.

Outros, contudo, falam de coisas pequenas que se somam no tempo acrescentando, a cada ano, mais uma pedra preciosa ao relacionamento.

Harry e Lawrence pertencem a esse último grupo. São primos em primeiro grau. Nasceram com a diferença de seis meses e separados apenas por poucas quadras.

Desde a mais tenra idade, conviveram. Descobriram que eram muito parecidos. Falavam, gostavam e pensavam de forma muito semelhante.

Quando ambos tinham em torno de cinco anos, Lawrence foi para a festa de aniversário do primo. Era mais uma grande reunião de família, onde se misturavam primos, tias, sobrinhos.

Harry ganhou de um dos convidados uma maravilhosa coleção de soldadinhos de chumbo, pintados com cores vivas e aos olhos da criançada pareciam reais. O aniversariante os pegou e mostrou a todos com orgulho.

Brincaram até tarde. Na hora da saída, Lawrence enfiou todos os soldadinhos no bolso da calça.

Eram tão lindos que ele os desejou para si. Fingindo naturalidade, foi saindo de fininho, encaminhando-se para a porta.

O que ele não sabia é que o bolso da calça estava furado e os soldadinhos caíram com estardalhaço no chão.

Os adultos se viraram todos para o pequeno, com olhos acusadores. Sua mãe lhe desferiu aquele olhar de: O que você fez?

O garoto se sentiu acuado. Tinha vontade de sair correndo, fugir, mas as pernas lhe pesavam. Pareciam pregadas ao chão.

Foi o pior momento de sua vida, lembra Lawrence, hoje com mais de setenta anos.

Então, o primo Harry veio em seu socorro. Colocou-se ao lado dele e com segurança falou em voz alta e clara:

Eu dei os soldadinhos para ele.

Recordando aqueles momentos, o escritor que viaja pelo mundo todo, pergunta:

De que outro motivo preciso para amar esse sujeito?

E são amigos até hoje. Mesmo que, crescidos, tenham seguido caminhos diferentes, prosseguiram a cultivar esse sentimento maravilhoso que nos faz florescer e que se chama: amizade.

A amizade sincera é um oásis de repouso para o caminheiro da vida, na sua jornada de aperfeiçoamento.

A amizade leal é a mais formosa modalidade do amor fraterno, que santifica os impulsos do coração.

Quem sabe ser amigo verdadeiro é, sempre, o emissário da ventura e da paz.

Ter amizade é ter coração que ama a esclarece, que compreende e perdoa nas horas mais amargas da vida.

 

 

publicado por umolharfeminino às 13:01 link do post
22 de Outubro de 2009


Refletido no espelho olho o meu rosto,
com um brilho de alegria e de encanto;
nem um só pensamento de desgosto
nem nos olhos vejo mais aquele pranto.
 
Por longo tempo esperei esse momento,
que por ti não mais chorar preciso;
é quase como um encantamento
ver meus lábios só com esse riso.
 
Acabaram-se todas as mazelas
que trazia na alma de quem chora;
vendo agora essas cores mais belas
banhadas em luzes de uma aurora.
 
Olhando o céu e a lua transparente,
a inspirar os versos que escrevo,
minh´alma transborda docemente
e a Deus agradecer, eu sei que devo.
 
Logo vem o nascer do sol brilhante,
aquecendo o corpo, que era um frangalho
dando mais vida ao meu riso amante
e mais colorido aos versos que espalho.

 Ruth Gentil Sivieri

publicado por umolharfeminino às 22:12 link do post
21 de Outubro de 2009

"Um dia uma pequena abertura apareceu num casulo; um homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.
Então pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso...
Parecia que ela tinha ido mais longe que podia e, não conseguia ir mais.
Então o homem decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo.
A borboleta então saiu facilmente...mas seu corpo estava murcho, era pequeno e tinhas as asas amassadas.
O homem continuou a observá-la, porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se afirmar a tempo.
Nada aconteceu!
Na verdade a borboleta passou o resto de sua vida rastejando com o corpo murcho e as asas encolhidas.
Ela nunca foi capaz de voar...
O que o homem em sua gentileza e vontade de ajudar não compreendia, era que o casulo apertado e o esfôrço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo pelo qual Deus fazia com que o fluido do corpo da borboleta fosse para suas asas ,de forma que ela estaria pronta para voar uma vez que tivesse livre do casulo.
Algumas vezez o esforço é que precisamos em nossa vida.
Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, eles nos deixaria aleijados.
Nós não iriamos ser tão fortes como poderíamos ter sido.
Nós nunca poderíamos voar...
Eu pedi forças... e Deus deu-me dificuldades para fazer-me forte.
Eu pedi sabedoria... e Deus deu-me problemas para resolver.
Eu pedi prosperidade... e Deus deu-me cérebro e músculos para trabalhar.
Eu pedi coragem...e Deus me deu obstáculos para superar.
Eu pedi amor...e Deus deu-me pessoas com problemas para ajudar.
Eu pedi favores...e Deus deu-me oportunidades.
Eu não recebi nada do que pedi...mas recebi tudo do que precisava.
Viva a vida sem medo, enfrente todos os obstáculos e mostre que você pode superá-los."
desconheço autoria
publicado por umolharfeminino às 00:49 link do post
21 de Outubro de 2009

publicado por umolharfeminino às 00:21 link do post
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
16
17
18
20
23
31
subscrever feeds

Volte sempre por aqui
Casalingo


WBRreport
Awards

Obrigada por me Linkar :)


Meu Award




Clique aqui para mais Glitters Gifs Animados


Morning has broken / Cat Stevens



Posts mais comentados
3 comentários
3 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
1 cometário
1 cometário
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
uerida amiga blogueira! vim saber as novidades. Sa...
Amei conhecer mais um blog para divulgar a palavra...
Estou a ver na televisao informacao sobre a greve....
Ola querida amiga blogueira de tantos tempos, vim ...
que palavras maravilhosas! um beijo
Boa noite, venha me visitar e leia a matéria dos d...
Como sempre, um olhar feminino para acalentar as b...
Ola vim deixar meu oi. de Carinho e amizade. que v...
Venho parabenizá-la por se cantinho.Muito bonito, ...
FELIZ NATAL E FELICIDADES EM 2010. Obrigado pela ...
blogs SAPO